Ultimas postagens.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Suspeito de executar prefeito de Tucuruí e empresário em Itaituba é um dos mortos em tentativa de fuga no Pará


Bruno Marcos de Oliveira foi preso em setembro no aeroporto de Belém. Ele era investigado por envolvimento em duas execuções no Pará e uma em Sergipe.

Bruno Marcos de Oliveira, investigado por executar o prefeito Jones William da Silva Galvão de Tucuruí, sudeste do Pará, é um dos 16 corpos identificados e liberados pelo Instituto Médico Legal (IML), até a tarde desta quarta-feira (12), entre os mortos na tentativa de resgate no Complexo Penitenciário de Santa Izabel, na região metropolitana. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup).

O número de mortos na tentativa de fuga subiu para 22 após a morte de um detento que, segundo a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), estava internado na Unidade de Pronto Atendimento de Castanhal e veio a óbito na noite de quarta (11).

Bruno foi preso em setembro de 2017 pelas polícias Civil e Federal com documentos falsos no aeroporto de Belém, antes de embarcar para São Paulo.

Segundo a polícia ele foi identificado em câmeras de segurança do aeroporto e por testemunhas de crimes que ele é suspeito de envolvimento. As investigações apontam que ele praticava assassinatos por encomenda em troca de dinheiro.

Bruno possuía, de acordo com a polícia, três mandados de prisão por conta de um homicídio em Sergipe e outros dois casos de grande repercussão no Pará - as execuções do prefeito Jones, em julho de 2017, e, em agosto, do empresário Albenor Moura da Silva em Itaituba, sudoeste do Pará.

O prefeito foi morto enquanto visitava uma obra, quando dois homens em uma moto o abordaram e atiraram várias vezes.

Já o empresário foi morto no posto de gasolina que administrava na rodovia Transamazônica. Câmeras de segurança registraram o crime.

Tentativa de fuga

A Susipe informou que outros três presos continuam internados com quadro de saúde estável.

De acordo com boletim médico divulgado nesta quinta (12) quatro agentes penitenciários continuam internados e o estado de saúde deles é estável.

Até então, a recontagem de detentos ainda não foi finalizada e nenhuma fuga foi confirmada.

Port@l do Oeste News.
G1 Pará.