Ultimas postagens.

quinta-feira, 15 de março de 2018

Em Itaituba: Vídeo que mostra professora empurrando aluno revolta população.


O vídeo mostra professora itaitubense empurrando uma criança de cinco anos de idade em sala de aula; A mãe desabafou ao Giro; Prefeito Valmir Climaco também se manifestou sobre o caso.

Um vídeo gravado na última segunda-feira (11), que só viralizou nesta quinta-feira (15), revoltou a população itaitubense, nele, uma professora de ensino infantil, da rede municipal de ensino, agride uma criança de cinco anos de idade durante uma comemoração de aniversário em sala de aula. Segundo informações, o vídeo foi gravado e enviado pela própria professora em um grupo de whatsapp da escola, provavelmente não percebeu que enviava o vídeo polêmico.


Logo que aconteceu os primeiros compartilhamentos do vídeo, um grande número de pessoas manifestaram revolta contra a professora envolvida no caso, todos perplexos com a atitude da mulher, já que, no vídeo, claramente a criança não apresentava nenhum tipo de alteração naquele momento.

O Giro conversou com a mãe da criança, Milla Costa Garrido, ela disse que só ficou sabendo do conteúdo do vídeo na manhã desta quinta-feira (15) por volta das 11h, logo em seguida a mesma enviou o vídeo para alguns familiares e rapidamente estava em vários grupos. Ela contou que membros da diretoria da escola, juntamente com a professora, lhe procuraram. Segundo a mãe, a professora afirmava ser inocente e negava que tenha havido agressão, dando justificativa de que o aluno tropeçou e caiu.

A mãe não aceitou as justificativas da professora e procurou a delegacia de polícia para registrar um Boletim de Ocorrência, afirma que também irá denunciar ao ministério público e ao juizado de infância e juventude para que sejam tomadas providências legais.

Milla afirma ainda que seus filhos sempre estudaram naquela escola e que nunca duvidou da capacidade do ensino da mesma, ela acredita que o episódio foi um fato isolado, mesmo assim pretende buscar seus direitos para que possa evitar que mais crianças sofram com este tipo de atitude de professores. “não posso deixar que outras crianças sofram com uma situação parecida, já tive relatos de que outros amiguinhos dele choram pra não ir à escola, por isso, não podemos afirmar, mas desconfiamos que situações assim já ocorreram antes.”

A mãe também disso ao Giro que o filho estuda na escola desde o início do ano passado, e ele adorava a professora, chegava a levar flores para a mesma, já neste ano o comportamento mudou completamente, “ultimamente ele vem usando agressões verbais que não usamos em nossa casa, eu penso que as vezes pode ser algo que tenha visto na escola.” disse.

A criança vai passar por acompanhamento psicológico e, segundo a mãe, não voltará a mesma escola caso a professora permaneça. Ela deixou um recado a todos os pais de crianças “Espero que todos os pais de alunos, que sentem que seus filhos podem estar passando por situações parecidas, não fiquem calados, não deixem seus filhos passarem por este tipo de violência, por menores que sejam, isso se torna algo acumulativo, começa com um empurrão, depois só Deus sabe o que pode acontecer. Isso pode causar traumas eternos na mente das crianças.”

O prefeito de Itaituba, Valmir Climaco de Aguiar, se manifestou sobre o caso. Segundo informações de pessoas próximas ao administrador, o mesmo ficou muito nervoso ao ter conhecimento. “Prezados amigos Itaitubenses. Boa Noite. Acabo de assistir um vídeo, que circula nas redes sociais, o qual uma criança da rede municipal de ensino é vítima de agressão, em plena sala de aula. Determinei ao Secretário de Educação, que de imediato, tome todas as medidas para identificação dos responsáveis e aplicação de todas as medidas cabíveis. Não irei admitir, de nenhuma maneira, que qualquer aluno itaitubense sofra qualquer tipo de agressão nas nossas escolas, seja física ou psicológica, por qualquer um que seja. Me solidarizo aos pais e familiares da criança que foi vítima de uma injusta agressão e lhes garanto que tal ato não ficará impune.” disse em mensagem nas redes sociais

O Giro tentou contato com a professora através de ligação e mensagens, mas sem sucesso. Alguns colegas de profissão afirmaram estarem surpresos com a situação, alguns saíram em sua defesa.

Port@l do Oeste News.
Fonte: Portal Giro.