Ultimas postagens.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Vereador Antônio Rocha afirma desconhecer corrupção na Câmara Vereadores em Santarém.


Afirmação foi feita durante depoimento na audiência de instrução do caso 'Perfuga'.

Como parte da audiência para oitiva de testemunhas do caso "Perfuga", o depoimento do vereador Antônio Rocha nesta terça-feira (16) durou toda a manhã e avança para a tarde. No primeiro momento, apenas o Ministério Público indagou o vereador. Ele negou qualquer conhecimento de corrupção na casa legislativa, mas promotores expuseram áudios de ligações telefônicas entre o presidente da Câmara e outros vereadores contrariando a afirmação de Antônio Rocha.


O vereador e presidente da Câmara assumiu o cargo em 2017, e diz que durante esse um ano de atuação ele mudou algumas coisas na estrutura administrativa da Casa para diminuição de gastos. Ele garante que tudo é feito de forma legal e com o seu conhecimento.

Um dos áudios que foi colocado para escuta pública de quem estava acompanhando a audiência, foi sobre marcação de exames sem seguir a fila de espera. Segundo o Ministério Público, o resumo do diálogo entre o vereador Antônio Rocha e o assessor do mesmo, Ezequiel Aquino, se deu pela insatisfação do vereador em não poder marcar consultas médicas e exames com prioridade.

O vereador nega a insatisfação, e explica que a lista é apenas encaminhada para a secretaria de Saúde, mas não como prioridade.

Outras questões como assinatura de documentos autorizando a contratação e a substituição de membros temporários da equipe da casa legislativa também foram comprovadas por ligações grampeadas.

Alguns nomes de envolvidos na operação foram citados pelos promotores. O vereador Antônio Rocha disse que desconhece qualquer contratação fora dos padrões legais, e tentou justificar a situação do advogado Wilson Lisboa, um dos suspeitos que está preso. "A pedido de Reginaldo Campos que era vereador na época, foi retirada uma pessoa da gestão colocando o advogado na folha. Mas não tenho conhecimento de contratações ilegais. Se tiver, não passou por mim. Não assinei nenhum documento", ressaltou o presidente.

Portal do Oeste News.
G1 Santarém.